Mais do que contribuir para arrumar as contas públicas, a reforma da previdência está ajudando os brasileiros a pensar sobre a velhice. Lidar com a passagem do tempo é a principal barreira para que as pessoas pensem na aposentadoria. Engana-se quem acha que é “apenas” a renda do brasileiro que é baixa.

Porque mesmo que a renda não seja alta é fundamental pensar sobre como você viverá no futuro. Talvez não precise de uma previdência complementar se sua renda estiver dentro dos limites cobertos pela previdência oficial. Mas terá que regularizar sua situação com o INSS, por exemplo. E ainda são muitos que sequer sabem quanto tempo têm contribuição ou mesmo se estão contribuindo.

O fato é que o debate sobre o envelhecimento demorou a chegar ao País. Mas quando o principal telejornal brasileiro, o Jornal Nacional, coloca no ar por uma semana um especial sobre envelhecimento é porque realmente alguma coisa está mudando.

A série é um trabalho espetacular porque mostra como o aumento da expectativa de vida impacta as famílias, a sociedade, os indivíduos, as políticas públicas, enfim uma verdadeira revolução.

Neste 2017, em que a reforma de previdência é o principal tema econômico, com a responsabilidade de ser inclusive um catalisador da retomada da recuperação econômica, o debate sobre o envelhecimento está nas ruas, nas páginas, nas ondas e nas telas. Você simplesmente não pode ficar de fora.

 

CONTINUAR LENDO
1 0