“Voltaire diz que os céus nos deram duas coisas para compensar as inúmeras misérias da vida: a esperança e o sono. Ele poderia ter acrescentado o riso à lista”. A frase, que fui buscar no século 18, é do filósofo alemão Immanuel Kant.

Mas sono e riso no momento atual é pedir um pouco demais. Rir do que? E como dormir se o salário está cada vez menor e o desemprego bate à porta.

A economia brasileira passa por um momento extremamente difícil, em boa parte consequência da euforia desenfreada que experimentamos no passado. Gastamos além da conta. Nós, os governos e empresas também. E os excessos foram cobertos com crédito. Isso não costuma dar certo em lugar nenhum do mundo.

São muitas as histórias de crise econômica ao longo dos séculos que tiveram origem em consumo desenfreado e crédito dado sem cerimônia. Não acontece só no Brasil e a humanidade já deveria estar acostumada e desconfiar quando a euforia começa a contaminar a economia.

O mesmo ocorre com nossas finanças. Assim, o melhor caminho neste momento para reconquistar a paz e tranquilidade que vão embalar nosso sono e até mesmo nos arrancar alguns sorrisos, ainda que não gargalhadas, é fazer um ajuste fiscal em casa.

É preciso urgentemente rever o orçamento. Sua renda está menor. Embora você ainda receba o mesmo salário nominal, a renda real caiu porque a inflação devora seus recursos.

Em nome de um crescimento econômico que acabou não vindo, o governo fez vista grossa para a inflação e agora ela está comendo nossa renda. Manter o mesmo padrão de gastos de antes vai deixa-lo em apuros mais cedo ou mais tarde.

Assim, antecipe-se aos problemas e corte na carne, como se costuma dizer para redução drásticas de custos. Mas não encare esse movimento como perdas, o que poderia leva-lo a ficar triste e deprimido.

Porque na realidade não serão perdas mesmo. Se você fizer um bom trabalho, se livrará de todas as gorduras que acumulou nesses anos de euforia de crédito farto e fácil. E assim como depois de um regime, você se sentirá leve, mais disposto e quando se der conta fazendo planos e animado outra vez.

Tenha a certeza de que a crise passa. Aliás estas são as únicas certezas que temos sobre crises, que elas vêm em algum momento e que depois passam, embora nunca saibamos qual o dia e a hora que isso acontecerá.

A crise passará, mas os bons hábitos e a nova configuração do seu orçamento permanecerão e este pode ser um grande legado da crise para sua família e bem-estar.

Por favor, vamos tentar fazer jus ao filósofo alemão e ao escritor francês. Porque afinal, o sono e o riso são sagrados e imprescindíveis para alimentar a esperança. 

CONTINUAR LENDO
1 0