Tem que ficar ligado! A multa pra quem perder a data de entrega do IR é de no mínimo R$ 165,74, podendo chegar a até 20% do imposto devido. O prazo este ano vai até 30 de abril.

Como já é praxe, quem entregar a declaração mais cedo e sem pendências, recebe antes dos demais.  Idosos, deficientes físicos ou mentais e pessoas com doenças graves têm prioridade. As restituições começam a ser pagas em junho e vão até dezembro.

Letras & Lucros ajuda você nessa missão! Veja o passo a passo para tirar da frente essa preocupação!

1. Separe os documentos do empregador e dos bancos

Pegue na empresa onde você o trabalha o informe de rendimento com os dados de 2018. Lá, vão constar a sua renda no período, as contribuições para o INSS, o imposto retido na fonte, além de possíveis contribuições à previdência privada e coparticipação em plano de saúde corporativo.

Você também vai precisar do informe dos bancos onde tem conta. Dá pra solicitar pela Internet, no caixa eletrônico ou nas próprias agências. Quem tem dinheiro em corretora também precisa pegar o informe de rendimento da instituição.

2. Reúna as despesas que deseja abater do IR

Você pode deduzir do Imposto de Renda, os gastos com saúde e educação, por exemplo. Mas precisa comprovar tudo direitinho. Então, se você gastou com escola, faculdade ou mesmo pós-graduação, deve reunir esses documentos. Nele deve ter o nome e o CNPJ da instituição de ensino. As despesas podem ser referentes a você ou aos seus dependentes.

No caso de gastos com saúde, também é preciso apresentar os recibos com o nome do profissional com o CPF ou a razão social da empresa com o CNPJ, o endereço do local, o serviço feito, o valor pago e o nome todo do paciente.

Entre as despesas dedutíveis, também estão os gastos com empregado doméstico que tenha carteira assinada. Você também deve separar esse tipo de documento se deseja diminuir o imposto devido ou aumentar a restituição.

3. Baixe o programa do IR 2019

No site da Receita Federal dá pra baixar o programa gerador da declaração do Imposto de Renda. Outra opção é usar o aplicativo Meu Imposto de Renda. Veja mais aqui

4. Importe os dados do ano passado

Pra facilitar, o programa permite que você importe os dados que colocou na declaração do ano passado. Aí é só atualizar as informações e registrar as novas transações.

Alertas importantes!

Todos esses documentos (tanto os que comprovam as despesas quanto os que comprovam os rendimentos) devem ser guardados por 5 anos. Durante esse período, a Receita Federal ainda pode pedir esclarecimentos para o contribuinte.

A declaração de IR é obrigatória para quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano passado.

Tem mais dúvidas? Escreve pra gente.

CONTINUAR LENDO
1 0