Essa é daquelas resoluções difíceis de cumprir. Mas, acredite: vale muito a pena. A vida é outra quando a gente aprende a controlar os gastos. O dinheiro rende, dá pra investir, planejar o futuro… E, sem a corda no pescoço, respirar aliviado!

 

Que tal então mudar de vida em 2019? Letras & Lucros está aqui pra te ajudar nessa tarefa! Vamos juntos?

 

1 – Anote seus gastos

Você precisa saber para onde vai o seu dinheiro. Só assim dá pra cortar gastos e melhorar as contas. “Tem que parar de prometer e ir pra execução. Você não precisa fazer isso o tempo inteiro, mas um mês certinho. Naqueles 30 dias, você anota tudo, até o cafezinho. Coloque também um valor para gastos extras, como presentes, aniversários etc. Esses pequenos gastos juntos podem deixar você no vermelho mês que vem”, orienta Rebeca Nevares, sócia e gerente comercial da Ativa Investimentos.

 

2 – Renegocie suas dívidas

Se não der pra quitar toda a dívida, tente pelo menos diminuir. Vale usar parte do 13º pra isso! Priorize esses pagamentos e não a compra de presentes. Veja pra quem você está devendo e o quanto paga de juros. Cartão de crédito e cheque especial têm as maiores taxas: podem passar de 300% ao ano. Procure as cooperativas de crédito. Geralmente, a taxa é bem menor.

 

3 – Não torre todo o seu 13º salário

A tentação é grande, a gente sabe! Mas, cuidado! Antes de gastar todo o dinheiro, lembre que o começo do ano traz muuuitos gastos: material escolar, IPVA, IPTU. Coloque tudo isso no papel e só saia carregado das lojas se o orçamento permitir. Faça uma lista de quem você quer presentear e defina um valor máximo pra gastar com cada um. “Se precisar, diminua o valor dos presentes e use a criatividade para comprar algo legal em um valor menor”, diz Eliane Tanabe, planejadora financeira certificada pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros.

 

4 – Tenha uma reserva de emergência

Imprevistos acontecem e a gente tem que estar preparado pra isso. Senão, não há orçamento que aguente! Em 2018, por exemplo, o desemprego empurrou milhares de pessoas para a inadimplência. E isso mostra a importância de ter um dinheirinho guardado para emergências. “Se você perder o emprego, as contas vão continuar chegando. Por isso, o ideal é ter o suficiente pra poder se bancar pelo menos por 6 meses”, explica Rebeca. Como você não sabe quando vai precisar dessa grana, nessa hora precisa investir em algo sem muito risco e com liquidez porque aí quando tiver que resgatar vai ser fácil. Tesouro Selic, por exemplo, e Fundos DI são boas opções.

CONTINUAR LENDO
1 0