Em setembro, pelo sétimo mês seguido, entrou mais dinheiro na poupança do que saiu. E a diferença foi grande: 8,54 bilhões de reais. É um recorde para o mês – o maior resultado pra setembro desde que começou a série histórica, em 1995. No acumulado do ano, a captação da poupança está positiva em 25,5 bilhões de reais.

Mas… será que esse é o melhor investimento?

A gente sabe que quem investe em poupança quer ter segurança. Mas existem outras opções na Renda Fixa que também são conservadoras e seguras, só que trazem uma rentabilidade maior – especialmente em um momento em que a taxa de juros está mais baixa.

É que é o seguinte. Sempre que a Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano, o rendimento da poupança cai. Nesses casos, os juros da caderneta ficam limitados a 70% da Selic, mais a Taxa Referencial (TR), calculada pelo Banco Central. Hoje, a TR está em 0% e a Selic, em 6,5%. Portanto, a poupança rende cerca de 4,55% ao ano (70% de 6,5%).

Se você optar pelo Tesouro Selic, que também é um investimento de renda fixa extremamente seguro, vai ganhar 100% da taxa Selic. Perceba que neste momento não há motivo para manter o investimento na poupança; a não ser que você queira liquidez imediata, que precise sacar um dinheiro na boca do caixa. Agora, se você puder esperar um pouquinho mais já não compensa. O Tesouro Selic tem liquidez diária. Ou seja: leva só um dia útil para o dinheiro cair na sua conta.

Você pode optar ainda pelo Tesouro prefixado. Nele a rentabilidade é conhecida no momento que você compra o título. Se você não se desfizer do investimento antes do prazo, vai ganhar exatamente o que foi combinado.

Já pra se proteger da inflação, o ideal é o IPCA+, que rende a inflação e mais um percentual. Isso significa que com ele você garante um ganho real, acima do IPCA.

Trocando em miúdos…

É melhor remar contra a maré, tirar o dinheiro da poupança e escolher outro investimento, como os títulos do Tesouro. O CDB (Certificado de Depósito Bancário) também é uma ótima opção na família da Renda Fixa. Se for de um banco pequeno, deve, inclusive, render bem mais do que o Tesouro Selic. A rentabilidade chega a 120% do CDI – lembrando que o CDI está sempre muito próximo da Selic. Se essa for a sua opção, fique atento também ao valor investido. Se a instituição quebrar, o FGC (Fundo Garantidor de Créditos) garante até 250 mil reais por CPF, já contando os rendimentos.

CONTINUAR LENDO
1 0