Mara, gostaria muito que você fizesse uma matéria sobre "robôs de investimento" (robo-advisors). Pelo que vi até agora Vérios, Monetus, Magnetis e Warren são os principais robôs de assessoria disponíveis. Já pesquisei bastante por aqui, mas seus inputs seriam ótimos para confirmar minhas conclusões sobre: 1) Quais taxas envolvidas nos investimentos por robôs? 2) Qual a rentabilidade até o presente das diferentes carteiras recomendadas por esses robôs? 3) Quais riscos envolvidos no uso dessas ferramentas? E quais principais vantagens? 4) Por que tais robôs se valem de corretoras menores (Rico, Easynvest, etc) para fazer os investimentos?

Oi, Wander!

Ótima pergunta! Vamos começar pelo conceito. Robôs de investimento são plataformas digitais que, por meio de algoritmos, montam uma carteira personalizada, levando em consideração os objetivos e o perfil do investidor.

A compra e a venda de ativos são automatizadas, o que reduz os custos. As taxas aqui no Brasil costumam ficar entre 0,6% e 0,95% ao ano – valor considerado baixo se compararmos com os fundos multimercados, que também montam carteiras com vários ativos.

Outra vantagem é que a taxa é fixa, não uma porcentagem de cada produto. Então mesmo que você possua uma carteira com vários ativos que teriam taxas diferentes caso você os comprasse separadamente, vai pagar um percentual único sobre o seu patrimônio.

As taxas cobradas variam de plataforma para plataforma. Você citou as principais do país: Vérios, Warren, Monetus e Magnetis. Cada uma cobra uma taxa. Vale a pena pesquisar. E vale olhar também a rentabilidade que elas tiveram no período. Isso varia também de acordo com o risco da carteira.

Aliás, em relação aos riscos: o principal é o de mercado. Por exemplo: se você tem uma carteira mais arriscada, concentrada em ações, você vai ficar sujeito à variação de preço desses papéis. Os títulos que compõem a carteira estão sempre no seu nome, o que significa que mesmo se aquela plataforma falir, você não perde o seu investimento, ou seja: não há risco de crédito por parte desse intermediário.

Outro ponto positivo dos robôs de investimento é que você consegue uma carteira bem diversificada a um custo baixo. O investimento inicial também não é alto, dá pra investir a partir de R$ 100 em alguns casos. E sobre a sua última pergunta: essas plataformas se valem de corretoras justamente porque não são corretoras, então elas precisam de um instituição para intermediar.

Boa sorte nos investimentos! Conte sempre com a equipe do Letras & Lucros.

 

CONTINUAR LENDO