Os estilos não poderiam ser mais diferentes. Há praticamente um cânion separando quem está entrando no mercado de trabalho e a mão-de-obra madura que, graças ao bônus da longevidade, permanece ativa. As empresas estão vivendo o fenômeno dessa convivência e poderiam se  beneficiar dele. Temos baby boomers, ou seja, os nascidos até o comecinho da década de 1960; a geração X, que compreende aqueles que vieram ao mundo entre 1962 e 1980; a geração Y, os millenials, que já cresceram como nativos digitais, tendo nascido entre 1980 e 1992; por último, a geração Z, composta dos jovens que nasceram até 2010 e começam a buscar seu lugar ao sol.

Imagine que variedade de experiências e inteligência pode coexistir debaixo do mesmo teto! Entender as diferenças de estilos é o primeiro passo para evitar o erro de forçar uma padronização de comportamentos que acabará empobrecendo o ambiente de trabalho. Baby boomers se sentem desprestigiados e vítimas de preconceito por serem mais velhos. O que lhes falta em agilidade com a tecnologia é compensado pela vivência – um repertório valioso na hora de resolver problemas.

A geração X, por sua vez, tem a sensação de ter ficado ensanduichada e sem espaço, uma vez que os baby boomers continuaram ativos e os millenials logo se apresentaram para mostrar seu valor. Já a geração Y se ressente de um mercado injusto, no qual a competição aumentou e os salários diminuíram. Por fim, quem está no “vagão Z” quer mudar o mundo, mas se sente impotente com as regras que estão em vigor. A insegurança em relação à própria capacidade para lidar com tantos novos desafios é um ponto em comum entre os mais jovens.

Usada com sabedoria, temos a tecnologia a nosso favor. A melhor maneira de conciliar essa autêntica Torre de Babel é construir uma plataforma de convivência, onde mensagens, documentos, ideias e propostas possam ser compartilhados. Se há canais de comunicação, as oportunidades de parcerias e relacionamentos aumentam. Afinal, se há algo que toda geração ambiciona é o senso de pertencimento e de propósito.

 

CONTINUAR LENDO
1 0