Quer uma notícia boa? A montadora de caminhões Scania anunciou que sua fábrica em São Bernardo do Campo (SP) passa a produzir motores para exportar à matriz na Suécia. A unidade paulista será, a partir de 2016, a base para exportação para 20 países e, com isso, as vendas externas passam a representar mais de 60% da produção local da Scania.

Outra? Ao mesmo tempo em que vendeu as marcas Topper e Rainha para o empresário Carlos Wizard Martins, a Alpargatas está trazendo a produção de tênis da marca Mizuno da Ásia para o Brasil.

Só no mês de novembro, pelo menos mais dois investimentos estrangeiros no Brasil foram anunciados, desafiando o pessimismo: a aquisição por R$ 1,3 bilhão pela americana United Health, dona da Amil, do Hospital Samaritano de São Paulo e a construção do primeiro centro de serviços da siderúrgica Steel Warehouse em Paulínia (SP).

A lógica destes e outros negócios é predominantemente a forte desvalorização do real frente ao dólar.

Com produtos brasileiros mais baratos em dólar, as vendas ao exterior estão crescendo estimulando o investimento voltado para este segmento tão importante da economia que é o comércio exterior. Segundo o jornal Valor, o Investimento Direto no País (IDP) já soma US$ 54,9 bilhões entre janeiro e outubro de 2015, devendo fechar o ano em US$ 65 bilhões nas projeções do Banco Central, praticamente cobrindo todo o déficit em transações correntes.

O IDP é o investimento de melhor qualidade para financiar os déficits externos porque é voltado à produção, tem perfil de longo prazo e é denominado em reais.

“O setor externo é o único bom indicador da economia brasileira hoje”, afirma o economista André Biancarelli, da Unicamp.
É o outro lado do dólar caro que já cancelou vários planos de viagens e compras no exterior e encareceu muitos produtos que levam insumos importados em sua fabricação.

Mesmo com esse “custo inflacionário”, diz Biancarelli, a desvalorização do real tem que ser preservada para compensar a queda dos investimentos e gastos do governo e dar um alívio à recessão.
 

CONTINUAR LENDO
1 0