Winston Churchill, o primeiro-ministro britânico que liderou o país na vitória contra o nazismo, já dizia: “sucesso não é o final, falhar não é fatal. É a coragem de continuar que conta”. Sua própria trajetória foi um exemplo de persistência diante de sucessivos obstáculos na vida política. Portanto, embora as histórias de vencedores sejam motivadoras e recebam mais espaço na mídia, receber um não – ou até mesmo muitos deles – e não sucumbir pode pavimentar uma carreira de conquistas.

O escritor e palestrante Jia Jiang entrou de cabeça no tema e se propôs a enfrentar uma “terapia da rejeição”, que se transformou no livro “Rejection proof: how to beat fear and become invincible” (em tradução livre, “A prova da rejeição: como derrotar o medo e se tornar invencível”). O método de Jiang foi, durante 100 dias, deliberadamente se expor a levar um “não”, como pedir 100 dólares emprestados a um estranho, ou um refil de hambúrguer numa lanchonete. Suas aventuras eram filmadas e viralizaram através de seu blog. Como ele explicou na época do lançamento: “me dei conta de que o medo de ser rejeitado era pior que a rejeição propriamente dita, por isso me dediquei a me divertir com o processo, em vez de temê-lo”. Seu conselho é que todos deveriam treinar uma “dessensibilização” no campo dos insucessos: “é melhor começar com coisas menos importantes, para se acostumar com o impacto da rejeição e alimentar sua persistência e tenacidade. Do contrário, você poderá querer dar meia volta diante dos obstáculos e depois vai se arrepender disso”.

Também é preciso abandonar o modelo mental que leva muita gente boa a se sabotar. Não pense que não é bom ou boa o bastante – troque esse mantra negativo por: “ainda não estou pronto/a”, ou “essa foi a avaliação de uma só pessoa”. No lugar de se encolher num canto, alimente seu espírito desafiador, principalmente se fizer parte de uma minoria cujos direitos ainda estão longe de ser contemplados. Por isso, não desista de um emprego melhor, de um aumento de salário, de ser dono do seu negócio. Jiang ensina que nenhuma rejeição é definitiva: “sempre pergunte a quem o rejeitou o motivo de isso ter acontecido. Em seguida, faça uma nova investida, explicando por que o que você oferece tem valor, por que está tão engajado/a nesse projeto e pergunte como podem ajudá-lo/la a alcançar seu objetivo”. Quem quiser conferir sua palestra no TED pode fazê-lo através desse link: https://www.ted.com/talks/jia_jiang_what_i_learned_from_100_days_of_rejection?language=pt-br

CONTINUAR LENDO
1 0