Os juros do cartão de crédito e do cheque especial subiram de novembro para dezembro do ano passado, segundo dados do Banco Central. No caso do cartão de crédito para pessoas físicas, o valor foi de 279,8% ao ano para 285,4% ao ano no período. Já a taxa do cheque especial foi de 305,7% ao ano em novembro para 312,6% ao ano em dezembro.

Ao analisar 2018 como um todo, no entanto, os juros caíram nas duas modalidades. O cartão de crédito rotativo teve queda de 46,7 pontos percentuais, passando de 332,1% ao ano no fim de 2017 para 305,7% ao ano no fim do ano passado. No cheque especial, a queda no comparativo anual foi de 10,4 pontos percentuais.

De qualquer maneira, os juros do cartão e do cheque especial continuam muito altos. Os valores cobrados são bem maiores do que os juros de outras linhas de crédito oferecidas pelos bancos.

Não vou conseguir pagar a fatura do cartão. E agora?

Se você se enrolou nas contas e, por algum motivo, não vai conseguir pagar a fatura do cartão ou vai entrar no cheque especial, atenção! É melhor buscar outra linha de crédito, como o crédito pessoal, que cobra juros bem menores.

Essas linhas do cartão rotativo e do cheque especial nada mais são do que empréstimos pré-aprovados que o banco oferece. Tão ali, disponíveis, pra quando o cliente precisar. E é aí que mora o perigo! Como o banco faz isso sem pegar nenhuma garantia, as taxa cobradas são mais altas justamente porque embutem esse risco.

Sabe aquela história: quando a esmola é demais o santo desconfia?! É bem isso com o cartão de crédito e com o cheque especial. Pode anotar aí: não é bom negócio. Em pouco tempo, a sua dívida cresce de maneira assustadora.

Resumindo!

Primeiro ponto: se organize! Tenha uma reserva de emergência. E se, mesmo assim, entrar no cheque especial ou não conseguir pagar a fatura do cartão de crédito vá atrás de outra linha de empréstimo que tenha juros mais baixos.

CONTINUAR LENDO
1 0