Já imaginou tentar parcelar uma compra e não conseguir por falta de crédito? Isso aconteceu com 19% dos consumidores em julho, segundo um levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito.

O principal motivo para a negativa de crédito foi a inadimplência: 39% dos que não conseguiram o parcelamento disseram que estavam com o CPF restrito por causa do não pagamento de contas.

Em 18% dos casos, o motivo foi renda insuficiente e, em 12%, falta de comprovação de renda. “Isso tudo ainda é reflexo da crise, as pessoas se endividaram lá atrás e o desemprego ainda está alto”, avalia Alan Ghani, professor de finanças da Saint Paul.

Maior parte dos brasileiros não consegue guardar dinheiro; veja dicas para poupar

A pesquisa mostrou ainda que apenas 13% dos consumidores estão com as contas no azul, enquanto 35% estão no vermelho. Quarenta e seis por cento estão no zero a zero; ou seja: tudo que entra logo sai pra pagar as contas, não sobra nada pra investir ou pra gastar com alguma coisa.

Pra reverter essa situação, é preciso antes de tudo colocar as despesas no papel. Você precisa ter um orçamento mesmo, saber o quanto ganha e o quanto gasta pra ver onde dá pra cortar. “Tem gastos que não têm jeito, como o aluguel, por exemplo. Mas você pode, de repente, encontrar uma academia mais barata ou viajar menos”, explica o professor.

Não tem mágica. É preciso ter disciplina. “Eu costumo dar uma dica só porque é só ela que funciona: recebeu o pagamento, já separa o dinheiro que vai guardar e faz o investimento. Dinheiro na mão a gente gasta mesmo”, diz Alan. E você sabe muito bem que ele tem toda razão!

CONTINUAR LENDO
1 0