Já falamos aqui no Letras&Lucros sobre o investimento em títulos públicos (leia mais). O diretor da Easynvest Título Corretora, Amerson Magalhães, listou os principais mitos e verdades a respeito da aplicação nos papéis do Tesouro Direto. Veja a seguir:

1. É fácil e barato investir no Tesouro Direto >> VERDADE

Segundo Amerson Magalhães, os principais diferenciais do Tesouro Direto são o pequeno valor exigido para o investimento inicial (aproximadamente R$ 100), baixo risco de crédito, boa liquidez e a facilidade na hora de investir. “O investidor só precisar ter uma conta em um banco ou corretora, e não precisar nem sair de casa para fazer as transações, tudo pode ser feito pela Internet”, completa. É preciso ficar atento aos custos da operação, que variam de instituição para instituição. Além disso, existe a taxa de custódia cobrada pela BM&FBOVESPA semestralmente sobre o valor total dos títulos (0,30% ao ano).

2. É preciso ficar com o título até o vencimento >> MITO

Se precisar, o investidor pode vender seu título antes do vencimento, diretamente ao Tesouro Nacional, pelo seu valor de mercado. “É preciso tomar cuidado para ajustar a sua necessidade com a data de vencimento do título. Se ele vai precisar do dinheiro no curto prazo, não faz sentido comprar um título de longo prazo. Também é importante ficar atento ao Imposto de Renda, cuja alíquota é maior para resgastes realizados em prazos menores”, diz Magalhães.

3. Rentabilidade pode ser maior que da poupança >> VERDADE

No atual cenário econômico, o retorno da poupança tende a ficar abaixo da inflação. A poupança rende cerca de 0,5% ao mês mais a variação da Taxa Referencial (TR). Já os títulos públicos atrelados à inflação, por exemplo, pagam juro fixo mais a variação do IPCA, índice oficial que mede a inflação. Ou seja, o investidor fica protegido do aumento dos preços. Para comparar qual a opção mais rentável, o investidor precisa observar algumas variáveis, como valor investido, vencimento do título e as taxas envolvidas.

4. Não vale a pena investir por menos de 2 anos por causa do IR >> MITO

Mesmo com a incidência do Imposto de Renda, as aplicações no Tesouro Direto podem ser mais vantajosas. Quanto mais tempo o valor ficar investido, menor a alíquota cobrada. As taxas variam de 22,5% para aplicações de até 180 dias e chegam até 15%, para aplicações acima de 720 dias.

5. Resgatar antes do vencimento é sempre ruim >> MITO

Quem decidir vender um título prefixado antes do vencimento corre o risco de resgatar um valor inferior ao aplicado caso, nesse meio tempo, tenha ocorrido uma elevação na taxa de juros, no entanto se ocorrer uma redução na taxa de juros, o rendimento será superior a taxa prefixada.

6. É um investimento com baixo risco de crédito >> VERDADE

Embora os investimentos em Tesouro Direto não estejam cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito), a garantia é oferecida pelo Governo Federal, emissor dos títulos. Portanto, é um investimento seguro.

7. É bom só para quem investe pouco >> MITO

A remuneração paga no Tesouro Direto é a mesma tanto para quem investe pouco, quanto para quem investe valores maiores.

CONTINUAR LENDO
1 0