A alimentação é o item que mais pesa no orçamento doméstico dos paulistanos. Segundo uma pesquisa da Rede Nossa São Paulo e do Ibope Inteligência, 43% afirmaram que o que mais impacta no bolso é a alimentação. Em seguida, vieram moradia (23%), saúde (15%) e transporte (6%).

O estudo mostrou ainda que de 2018 para 2019, diminuiu o percentual de paulistanos que afirmaram que a renda familiar caiu. Neste ano, 31% disseram que o orçamento ficou menor; contra 37% no ano passado. No mesmo período, subiu de 47% para 52% o percentual de paulistanos que acreditam que a renda familiar se manteve estável.

O número de paulistanos ocupados se manteve estável, perto dos 60%. Ou seja: 40%¨dos moradores não possuem ocupação. São pessoas que estão desempregadas ou não trabalham porque já se aposentaram, se dedicam à casa ou aos estudos.

Quinze por cento dos paulistanos contaram que estão desempregados. Em toda cidade, com exceção da zona oeste, subiu o emprego assalariado com registro em carteira. Mesmo assim, aumentou de 29% para 33% a quantidade de paulistanos sem emprego há pelo menos dois anos.

Veja aqui dicas do Letras & Lucros para conseguir um emprego.

1 0