Relatório divulgado há pouco pela Serasa Experian mostra que o número de empresas criadas por necessidade no Brasil continua crescendo.
Em setembro foram abertas 173.405 novas empresas no total, 1,3% mais que em agosto.
Somando todas as empresas criadas nos nove primeiros meses de 2015, o número é de 1.522.988, um aumento de 4,5% comparado com o mesmo período de 2014.
O que mais chama atenção nesse levantamento – que considera todos os portes e setores de atividade registradas nas juntas comerciais em todos os estados – é o aumento de Empresas Individuais, nada menos que 65,1% em relação a agosto, com 13.802 companhias criadas contra 8.359 no mês anterior.
Os economistas da Serasa analisam que o aumento do número desse tipo de empresa tem mais a ver com necessidade que com oportunidade, o que é uma má notícia.
É quando as pessoas perdem o emprego e usam as verbas rescisórias para abrir um negócio. Na maioria dos casos, não são empreendedores, não têm ideia de como organizar uma empresa, controlar caixa ou fazer um planejamento estratégico.
E acabam se dando mal, perdendo o único dinheiro que lhes resta.
Abrir uma empresa exige um preparo e um plano de negócios, no mínimo.
Se esse é o seu caso, leia aqui no Letras & Lucros, como se preparar para abrir uma empresa com muito mais chances de sucesso.
E se você não tem o preparo suficiente e na verdade não tem vocação para empreendedorismo, o professor Rodrigo Zeidan, da Escola de Economia & Negócios da Fundação Dom Cabral, tem uma sugestão melhor: invista na própria educação. Atualize-se e prepare-se para quando o mercado de trabalho melhorar.
“Educação é o melhor investimento em momentos de crise”, disse Zeidan.
Uma boa semana!
 

CONTINUAR LENDO
1 0