Maio foi assustador para quem precisava comprar dólar. A moeda americana chegou aos R$ 4,10 no dia 17. Mas os ventos parecem ter mudado de direção. Na última sexta-feira, 7 de junho, o dólar fechou em R$ 3,85. Isso significa que desde o pico de maio, a queda acumulada foi de 6%.

Mas… o que explica tantos altos e baixos? Em maio, o mercado ficou tenso com a guerra comercial entre China e Estados Unidos e, internamente, havia uma desconfiança em relação à capacidade do Governo de aprovar medidas importantes, como a Reforma da Previdência.

Na última semana, no entanto, pelo menos no cenário interno, a situação se acalmou. O Congresso aprovou medidas provisórias que seguram as contas públicas, como o pente fino em benefícios do INSS.

Como fica daqui pra frente?

Difícil saber. Por isso, se você tem viagem marcada e precisa comprar a moeda americana, veja três dicas simples do Letras & Lucros para economizar na hora de comprar dólar.

1. Pesquise!

No site do Banco Central tem uma página que mostra as corretoras e as casas de câmbio que cobraram o menor preço pelo dólar nos últimos meses. O valor que aparece é chamado de VET (valor efetivo total) e já inclui IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e eventuais taxas extras.

Agora… atenção: o ranking divulgado pelo BC é um retrato do passado. As cotações mudam a cada minuto, mas você pode usar os dados pra ligar paras as corretoras e ver qual está com o menor preço. Ah! E evite comprar nas casas de câmbio do aeroporto – costuma ser bem mais caro. 

2. Dê preferência para o dinheiro em espécie

Não tem como escapar do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Mas se você comprar moeda estrangeira em espécie, vai pagar uma alíquota muito menor. Olha só: em dinheiro vivo, você tem que pagar um imposto de 1,1% em relação ao valor total. Já se você resolver colocar dólar em um cartão pré-pago, o IOF cobrado vai ser bem maior: 6,38%.

O melhor mesmo é se programar e comprar a moeda antes de embarcar. Assim você também evita a Tensão Pós-Férias, quando a diversão acaba e sobram só as contas. 

 

3. Compre aos poucos

O valor do dólar varia mesmo, não tem jeito. E é muito difícil adivinhar qual a melhor hora pra comprar. Uma dica que os especialistas dão é que você compre um pouquinho de cada vez. Assim, você garante uma cotação média da moeda estrangeira.

 

CONTINUAR LENDO
1 0