Nove milhões de pessoas vão fazer as comprinhas de Natal só nesta semana. Falta de tempo? Não. Estratégia! É que 55% dos consumidores que deixaram pra última hora alegam que estão à espera de promoções relâmpagos. Outros 22% contam que vão esperar a segunda parcela do 13º pra comprar. Os dados são de uma pesquisa da Confederação Nacional dos Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC).

Os presentes mais buscados devem ser as roupas (59%), calçados (35%), perfumes ou cosméticos (23%), smartphones (15%) e acessórios, como bijuterias, cintos e bolsas (12%). 

Mas… será que é uma boa comprar tão perto do Natal?

“É uma ilusão esperar que as lojas venham a oferecer grandes promoções faltando poucos dias para o Natal. As liquidações mais vantajosas costumam ocorrer após a virada do ano. Se o consumidor deixa para comprar muito em cima da hora, acaba não tendo tempo para pesquisar preços em diferentes lojas ou encontrar opções de produtos mais baratas. Além disso, com as lojas cheias, os produtos mais baratos acabam mais cedo nos estoques. Há o risco de o consumidor não encontrar o presente desejado e ter que optar por algo mais caro, comprometendo o orçamento”, alerta Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil.

Muita calma nessa hora!

Siga as dicas do Letras & Lucros pra não estourar o orçamento com as compras.

  • Faça uma listinha de todos os parentes e amigos que você quer presentear
  • Defina um valor máximo para gastar com cada um
  • Some o total e veja se esses gastos realmente cabem no bolso
  • Reserve uma parte do dinheiro para os gastos do começo do ano (IPTU, IPVA, material escolar etc)
  • Use da criatividade. Um bom presente não precisa ser caro. Pesquise!

 

CONTINUAR LENDO
1 0