A expectativa dos consumidores brasileiros para a inflação nos 12 meses seguintes passou de 5,3% em abril para 5,4% em maio. Nos três últimos meses, o índice acumula alta de 0,5 ponto percentual. Os dados são da pesquisa de sondagem do consumidor, da FGV/IBRE.

“O aumento da expectativa de inflação para os próximos meses se origina em parte na percepção do aumento conjuntural de preços mas também na queda da confiança, influenciada pelo forte aumento da incerteza econômica. Apesar disso, considerando-se o diferencial histórico entre as previsões dos consumidores e da inflação medida pelo IPCA, por exemplo, os números ainda são bastante moderados, compatíveis com uma inflação oficial na meta”, afirma Viviane Seda Bittencourt, coordenadora da Sondagem do Consumidor, da FGV/IBRE.

O centro da meta de inflação estipulado pelo Governo é 4,25%. O estudo mostrou que entre abril e maio, aumentou de 60% para 68% o número de consumidores que projeta inflação acima da meta.

Se você tem sentido no bolso o aumento dos preços, conheça 3 pontos que você deve rever para lidar com a inflação.

 

  1. Investimentos

A ideia aqui é fazer a rentabilidade aumentar. Quem ainda está preso à poupança, por exemplo, perde dinheiro. Isso porque hoje a caderneta de poupança rende bem menos do que o Tesouro Direto, que também é um investimento de renda fixa extremamente seguro.

Toda vez que a Selic fica abaixo de 8,5%, o rendimento da poupança fica limitado a um percentual equivalente a 70% da Selic mais a variação Taxa Referencial (TR), que é calculada pelo BC. Então, se hoje o Tesouro Selic rende 100% da taxa Selic, a poupança rende 70%, ou seja: 4,55% ao ano. Se você optar por um CDB de banco pequeno, pode conseguir um rendimento bem maior do que a Selic, de até 120% da taxa. Só precisa ficar atento ao limite de 250 mil reais garantido pelo FGC.

  1. Gastos

Você deve anotar tudo que pesa no bolso por pelo menos um mês. Dessa forma, descobre pra onde vai o dinheiro e vê onde dá para cortar. Mas tem que anotar tudo, do cafezinho à mensalidade da escola das crianças.

  1. Dívidas

A terceira dica também faz toda diferença. Reveja as suas dívidas. Você não pode ficar devendo, por exemplo, para o cartão de crédito ou para o cheque especial. Os juros nessas modalidades chegam a 300% ao ano.

 

CONTINUAR LENDO
1 0