Quem se perdeu nas contas e caiu na inadimplência deve, em média, R$ 3.239,48, segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), com dados de maio. O valor supera a renda mensal do trabalhador brasileiro que, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), está em R$ 2.291.

Entre os consumidores que estão na lista de inadimplentes, mais da metade (53%) deve menos de R$ 1.000. Já 20% devem entre R$ 1.000 e R$ 2.500, 16%, entre R$ 2.500 e R$ 7.500 e 10% têm dívidas atrasadas que superam os R$ 7.500. Para o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, os números ainda são resultado da difícil situação econômica do país. “A economia tem enfrentado dificuldades para esboçar uma reação mais forte para sair da crise. As expectativas que eram positivas até uns meses atrás estão sendo revisadas seguidamente para baixo, o que afeta a confiança de consumidores e empresários. Além do cenário macroeconômico adverso, o descuido dos consumidores com as finanças leva à situação de descontrole e ao consequente atraso das contas”, explica.

Água e luz em atraso

A pesquisa mostrou ainda que 53% das dívidas em atraso são com o banco ou com alguma instituição financeira. Contas em atraso no comércio somam 17% do total e com comunicação, 11%. Mas os dados revelam que o brasileiro teve dificuldade também para pagar também o mais básico: as dívidas de água e luz cresceram 27,2% em maio, na comparação com o mesmo mês de 2018.

Para evitar que vire uma “bola de neve”, com juros altos que multiplicam o valor da dívida, uma dica é renegociar. “Uma opção que pode ser analisada em certos casos é a substituição da dívida por uma outra que cobra juros mais baixos, como é o caso do consignado. Já as dívidas com serviços básicos, como água e luz, embora cobrem juros menores, trazem muita dor de cabeça se atrasadas por implicam no corte de fornecimento”, afirma José Vignoli, educador financeiro do SPC.

Bom, se você se identificou com a turma que perdeu o controle das finanças, veja aqui mais dicas do Letras & Lucros para deixar a inadimplência para trás.

CONTINUAR LENDO
1 0