A partir de agora, cada instituição vai definir como vai ser a diminuição do limite do cartão de crédito quando o banco perceber que há risco de o cliente não pagar a fatura. Antes, era obrigatório avisar o correntista e esperar trinta dias para só então cortar o limite do cartão.  Agora, a redução pode até ter efeito imediato. Mas vale lembrar que só há mudanças no limite do cartão em casos excepcionais. Ou seja: se o perfil de crédito do cliente ficar mais crítico, o banco pode tomar essa medida em caráter excepcional.

A nova regra do Conselho Monetário Nacional estabelece que as instituições financeiras comuniquem o cliente sobre a mudança antes dessa redução de limite. O Banco Central alega que “ao tornar mais eficiente o processo de gerenciamento de risco das instituições financeiras, há benefício para o usuário do sistema financeiro. Menos risco significa menos custo da linha de crédito, menos spread e menos subsídio cruzado, o que contribui para a adoção de taxas menores”.

Para especialistas em finanças, há, de fato, um ponto positivo para o consumidor. Antes, ao manter o crédito a um cliente que vinha apresentando dificuldades para pagar a fatura, os bancos acabavam estimulando o superendividamento. E você já viu aqui no Letras & Lucros que é muito perigoso dever para o cartão de crédito. Os juros chegam a 300% ao ano

1 0