Mesmo diante de um momento difícil na economia, com desemprego em alta, seis em cada dez consumidores (63%) decidiram que vão comprar presente no Dia dos Namorados. O número é maior do que os 57% do ano passado, segundo uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), feita em todas as capitais do país.

Mas a crise econômica deixou o presente mais “enxuto”. O valor médio gasto em 2019 deve ser 27,5% menor, já descontada a inflação. No ano passado, o brasileiro estava disposto a gastar em média R$ 166 com o presente, contra R$ 127 agora.

Quanto à forma de pagamento, 59% disseram que pretendem pagar a compra à vista, enquanto 39% preferem parcelar. Se você faz parte desse último grupo, atenção porque a gente mostrou nesta reportagem do Letras & Lucros que o parcelamento pode fazer você se perder nas contas.

Falta de controle

A pesquisa mostrou também um outro dado preocupante: 30% dos entrevistados reconheceram gastar mais do que poderiam na compra de presentes no Dia dos Namorados. A maior parte (37%) diz que é porque quer agradar o (a) namorado (a), 34% alegam que parceiro (a) merece e 10% admitem que querem impressionar.

Mas cuidado pra não dar um passo maior do que a perna. Lembre-se de que existem outras maneiras de agradar e que presente caro não é tudo em uma relação <3

 

1 0