A lógica é simples: você dá mais garantia por um empréstimo e paga menos por ele. É essa a base da nova linha de financiamento da Caixa. O empréstimo consignado (com desconto na folha de pagamento) com uso do FGTS como garantia está disponível para funcionários da iniciativa privada que têm carteira assinada.

As taxas começam em 2,63% ao mês e podem chegar a 3,5%, segundo a Caixa Econômica Federal. No crédito consignado comum, que não conta com a garantia do FGTS, a taxa média cobrada em agosto ficou em 2,76% ao mês, de acordo com relatório do Banco Central.

 

Vale a pena pegar esse financiamento?

A dica de ouro do Letras & Lucros é: se você está com dívidas veja o quanto está pagando de juros. Você pode conseguir uma condição melhor com essa nova linha. A taxa média de juros para o cheque especial, por exemplo, em agosto, ficou em 12,32% ao mês – 4,6 vezes maior do que a média do crédito consignado comum para funcionários de empresa privada e 7 vezes mais do que o consignado para servidores públicos. “Trocar a dívida por uma mais barata com certeza é vantajoso. Mas não vale a pena fazer esse empréstimo e investir. A taxa, ainda que seja menor do que de outras linhas de crédito, vai ser bem mais alta do que a recebida em um investimento”, explica Betty Grobman, professora de finanças e sócia da BSG Duoprata.

 

Até quanto posso pegar de empréstimo? Quem tem direito?

Os valores para garantia são limitados a 10% do saldo do FGTS e 100% da multa rescisória em caso de demissão sem justa causa. Esses valores podem ser retidos pelo banco quando o funcionário sai da empresa em que estava quando fez o consignado.

Para conseguir um empréstimo dessa linha com a Caixa, é preciso trabalhar em empresa ou órgão conveniado. No Brasil, cerca de 37 milhões de pessoas têm contas vinculadas ao FGTS.

Por enquanto, essa nova linha de financiamento está disponível só na Caixa. Para ter mais informações você pode ligar no 0800 726 0101.

CONTINUAR LENDO
1 0