Dúvidas sobre finanças pessoais! Você tem?

Qual a estratégia devo adotar para aposentar com 55 anos?

10 de setembro de 2013

Trabalho desde os 20 anos de idade, hoje já estou com 32 anos e desde então contribuo com a previdência social. Minha renda atual é de 5 mil reais em CLT. Tenho uma empresa que me gera uma renda variável de 30 – 50 mil ano em média. Pretendo me aposentar aos 55 anos quando completo 35 anos de contribuição. Tenho um imóvel, não quitado, mas o valor do aluguel paga a parcela financiamento. Não tenho poupança, pois estou prestes a me casar e investi tudo que havia acumulado no apartamento que vou morar com a minha esposa que ainda não tem renda, mas o apartamento é próprio. Tenho apenas um título de capitalização simples. Qual a estratégia devo adotar para aposentar com 55 anos e manter uma renda tranquila para aproveitar e viver dessa renda? Meu perfil de investimento é conservador.







Posso aumentar o valor da aposentadoria do meu pai?

10 de setembro de 2013

Gostaria que me ajudassem com relação à aposentadoria do meu pai. Ele trabalhou por cerca de 21 anos no Banco Itaú e deixou o banco em um plano de demissão voluntária para montar um negócio com os amigos. Nos últimos doze anos em que atuou no banco, ele teve a função de gerente.

No entanto, todas as tentativas de montar um negócio foram mal sucedidas, e então ele viu-se tentado a aposentar-se mais cedo. Porém, nos cinco últimos anos de contribuição antes da aposentadoria ele estava com a renda comprometida, devido aos fracassos dos negócios que montou, acabou contribuindo para a previdência com um pouco mais do que o valor mínimo de contribuição, e por isso, aposentou-se ganhando um pouco mais que um salário mínimo.

Faz cerca de 10 anos que ele se aposentou. Gostaria de saber se é possível fazermos a contribuição ao INSS com um valor maior de contribuição em nome dele, por alguns anos, para que ele tenha a possibilidade de receber um pouco mais de pensão como aposentado. Não acho justo, no caso dele, que durante quase toda a carreira contribuiu com o teto de contribuição do INSS, tenha sido penalizado pelos últimos cinco anos que contribuiu.

Detalhe: ele não sabia na época que para efeito de cálculo, os últimos cinco anos de contribuição seriam imprescindíveis para o cálculo. O que ele recebe hoje não dá nem para pagar o convênio médico, cerca de R$ 740,00.



Tenho 52 anos de idade e 35 de contribuição. Posso pedir minha aposentadoria?

10 de setembro de 2013

Tenho 52 anos de idade e 35 anos e 6 meses de contribuicão, sempre trabalhei na iniciativa privada em industria do Polo Industrial de Manaus e nos ultimos 25 anos contribui sempre com o teto maximo da previdencia social. Quando posso requerer minha aposentadoria? E qual o valor que receberia se aposentasse agora?



Posso pagar as contribuições atrasadas como autônomo?

10 de setembro de 2013

Trabalho desde os 18 anos, mas em alguns intervalos, entre um emprego e outro, não contribui para a Previdência Oficial. -Posso agora, aos 49 anos, pagar estes intervalos atrasados como autônomo, e assim aposentar aos 60 anos por “tempo de trabalho” ?



Compro meu imóvel à vista ou pago aluguel com o rendimento da aplicação?

10 de setembro de 2013

Moro de Aluguel, pago R$ 3.000,00 + Condomínio R$ 500,00 num apartamento bem localizado em BH que vale R$ 750 mil. Irei morar na região nos próximos 5 anos. Vale a pena comprar um imóvel de menor valor (dentro do teto do FGTS) para morar utilizando saldo de FGTS de R$ 100 mil.

Minha dúvida se dá em função dos altos preços dos imóveis em BH, outro detalhe do contexto é o seguinte: tenho condições de comprá-lo a vista, no entanto, tenho NTN-B Principal com vencimento em 2024. Para comprar a vista teria que vendê-lo (o papel valia R$ 500 mil e hoje caiu para R$ 420 mil). Sendo interessante comprar o imóvel para deixar de pagar o aluguel, compro a vista (NTN-B + FGTS) ou deixo NTN-B recuperar e faço um financiamento do imóvel? Gostaria muito de uma análise. Grato



Administro as finanças da família. Estou no caminho certo?

10 de setembro de 2013

Olá, meu nome é Ana, tenho 33 anos e meu marido 37 anos e estamos esperando a nossa primeira filha, a linda Beatriz!
Atualmente não trabalho, pois meu marido e eu decidimos que era melhor e mais vantajoso para nós se eu cuidar da administração e manutenção da casa e também da nossa família e dos nossos investimentos. Essa parceria têm dado muito certo!

Eu sempre fui muito disciplinada em tudo em minha vida, desde quando comecei a trabalhar, no momento em que abri a primeira conta salário eu já contratei um plano de previdência privada. Na época, como era muito jovem e não tinha experiência nenhuma de investimentos, aceitei a opção que o banco me indicou como sendo a mais indicada no meu caso. Meu marido já não é como eu e só começou a investir depois que nos casamos e eu passei a controlar toda a nossa renda (dele no caso, hehehe).

Compramos nosso primeiro apartamento há 3 anos atrás, atualmente moramos nele e pagamos o financiamento no lugar do aluguel. Ainda assim conseguimos poupar R$4.000,00 por mês. Distribuo os nossos recursos da seguinte maneira:

60% está em fundos de investimentos, desses, 88% está em um fundo DI e 12% em um fundo indexado à inflação, que iniciei há um tempo atrás. Hoje eu vejo que a situação mudou e esse tipo de fundo e títulos que são indexados à inflação. Esse ano tem sido um ano ruim.
30% em previdência privada do tipo VGBL (um em meu nome e outra em nome do meu marido) 7% ações PIBB e 3% Títulos do Tesouro Nacional

Dos R$4.000,00 que consigo poupar por mês, coloco R$200,00 na previdência que está em meu nome, e do restante eu colocava R$800,00 no fundo indexado à inflação e o que sobrava no fundo DI.
Estipulamos que sempre manteremos no fundo DI um valor suficiente para 6 meses dos nossos custos. Sempre que conseguimos ultrapassar esse valor em um montante considerável, eu uso para entrar em outro investimento.
Foi assim que em 2009 comprei ações do PIBB e no ano passado comprei notas do Tesouro Nacional (70% de LFT 070317 e 30% de NTNB-Principal 150824).

Na previdência eu invisto pouco porque é um modelo de investimento muito caro, mas como os planos já estão feitos, não compensa tirar de lá e passar pra outro pela taxa de IR. Portanto, no que está em meu nome, que tem um regime de tributação mais interessante, nós ainda investimentos mensalmente os R$200,00, e no que está em nome de meu marido não aportamos nada mais e apenas estamos deixando o que já estava lá rendendo. Assim como todos os outros, esse investimento é pra longo prazo e só vamos mexer no dinheiro quando vencer o prazo estipulado na contratação. Só mexemos nos recursos que estão no fundo DI quando temos alguma emergência, que é onde temos liquidez.

Enfim, eu gostaria de passar a investir mensalmente um valor no tesouro direto.
Então, gostaria que você me ajudasse:

1) Se realmente é uma boa opção investir mensalmente no Tesouro Direto com o objetivo de investimento a longo prazo (aposentadoria)?

2)Qual seria o título mais indicado para isso? Seria a LFT, que é um papel pós-fixado de curto prazo que você vem indicando como a melhor opção para esse ano ruim de 2013? Ou como meu objetivo é longo prazo, teria melhores desempenhos no futuro com a NTN-B principal com vencimento em 2024 ou 2035?



Tenho dois planos de previdência, o que devo fazer?

10 de setembro de 2013

Tenho 48 anos e dois planos de aposentadoria oferecidos pelas empresas que trabalhei. No primeiro escolhi a tabela regressiva de IR, no qual comecei a investir em 1997 e ao sair da empresa em 2007 mudei para o benefício proporcional diferido.
No segundo iniciei os investimentos em junho de 2010 e tenho até hoje setembro de 2013. Neste segundo escolhi a tabela progressiva de IR. Ambos permitem a aposentadoria aos 55 anos.

As dúvidas são as seguintes :
1) A escolha a tabela regressiva no segundo pois, com menos de 10 anos de contribuição não me beneficiaria do desconto de 10% da tabela regressiva. Fiz certo?
2) O valor da aposentadoria do primeiro plano também conta para o cálculo do IR anual ou é tributação exclusiva? Ou seja, entra no cálculo da renda total para a declaração de ajuste anual?



Quero mudar meu investimento sem pagar 10% de IR, é possível?

10 de setembro de 2013

Alguns anos recebi uma indenização trabalhista, sem saber o que fazer e por orientação do gerente do Itaú, coloquei o dinheiro em VGBL. Mais tarde, precisei comprar um apartamento e saquei uma parte. Já fiquei muito revoltado porque paguei 10% de IR.

Agora meu saldo é de pouco mais de R$15.000, não tenho como depositar mensalmente para uma previdência complementar; não sei exatamente como funciona; e não posso, eventualmente, sacar porque pago 10% de IR; e o rendimento atual está muito baixo.

Queria mudar para outra aplicação, mas se retirar o dinheiro perco 10%. Não sei o que fazer!





Quanto eu deposito por mês na previdência dos meus filhos?

10 de setembro de 2013

Tenho dois filhos com 9 e 11 anos. Ambos tem R$15.000,00 na previdência privada do Banco do Brasil e eu gostaria de saber quanto depositar por mês para que, em suas aposentadorias, pudessem retirar uns R$10.000,00/mês.Pretendo colocar uns R$5.000,00/ano. É suficiente?



Close
FAZER PERGUNTA <
x

Ops!

Fazer uma pergunta é exclusivo para cadastrados (duas perguntas) e assinantes (perguntas ilimitadas).

CADASTRE-SE E FAÇA 2 PERGUNTAS ASSINE E FAÇA PERGUNTAS ILIMITADAS