A técnica já entrou no mundo esportivo: atletas que fazem meditação alguns minutos por dia desenvolvem maior resistência mental para suportar o desgaste de treinos extenuantes. O estudo (que pode ser lido no link https://link.springer.com/article/10.1007/s41465-017-0016-5) foi feito pela 1ª. divisão de futebol americano universitário. O exercício pesado é uma forma de estresse, porque demanda esforço e adaptação enormes do corpo. Além do esgotamento físico, há também uma demanda psíquica. Na pesquisa, cem atletas foram escolhidos e divididos em dois grupos: o primeiro começou o treino com uma sessão de relaxamento, durante a qual ouviu música e alongou os músculos. O segundo grupo foi introduzido na técnica de mindfulness, cujo objetivo é prestar atenção na própria respiração e no momento que está sendo vivido. As sessões não passavam de 12 minutos, logo após o treino, e os alunos eram estimulados a repetir o que haviam aprendido ao longo da semana. Depois de um mês, esse grupo de cem atletas se sentia menos esgotado que os demais, que não haviam tido nenhuma sessão de relaxamento. Entretanto, os que tinham praticado mindfulness apresentavam mais foco e resiliência. No Vale do Silício, já integra o cardápio das gigantes de tecnologia como ferramenta para aumentar a produtividade e a criatividade.

 

E o que é mindfulness? A origem remonta aos ensinamentos budistas – vem da palavra sati que, no dialeto indiano falado no tempo de Buda, significa recordar-se continuamente do seu objeto de atenção. Traduzindo do inglês, é o estado de atenção plena, que se baseia na aceitação da experiência em si, sem esboçar qualquer reação, e sim convivendo com ela. Parece simples, mas não é. Normalmente nossos pensamentos vagueiam entre o passado e o futuro: repassamos sem parar sentimentos negativos em relação ao que aconteceu e experimentamos ansiedade pelo que está por vir.  A questão é que não temos controle nem sobre o passado, nem sobre o futuro. Nosso tempo é o presente, por isso o treinamento de mindfulness é a consciência do agora. Se formos capazes de aceitar o que está acontecendo, teremos mais condições de responder aos estímulos e impactos externos de forma criativa.

 

Há muitos tutoriais no YouTube para quem deseja dar os primeiros passos e tentar aplicar mindfulness no trabalho. Esse é um ambiente para lá de propício para tirar o foco das coisas importantes. É como se o barulho e a tensão entrassem no seu cérebro e ali se instalassem. Evite ser engolido pela confusão reinante levando a mindfulness para seu cantinho e criando uma rotina. Pelo menos uma ou duas vezes por dia, pare o que está fazendo e foque sua atenção na respiração, na maneira como seu tronco se expande quando inspira e volta ao estado original quando solta o ar. Acompanhe todas as sensações, de tensões musculares a dores localizadas, e também seu estado emocional – agitação, ansiedade, tranquilidade – mas sem fazer nada, apenas aceitando o que ocorre. Conecte-se com o que está acontecendo, sem julgamentos ou comentários, apenas respire dentro desse “microambiente” que é só seu. Lembre-se de respirar longamente, segure o ar por um segundo enquanto o sente dentro dos pulmões e depois expire. Podem ser apenas cinco minutos, seu corpo e sua mente agradecerão.

CONTINUAR LENDO
1 0