107 auditores fiscais estão alocados permanentemente acompanhando 15% dos 317 fundos de pensão brasileiros. Essas entidades estão no chamado quadrante vermelho da matriz de risco da Previc, o órgão responsável em fiscalizar e regular este mercado. As informações são de José Roberto Ferreira, superintendente da Previc.

Ele explica que o modelo atual de supervisão está baseado em riscos e foi criado em 2008. A matriz de risco distribui os fundos de pensão por quatro quadrantes e no vermelho estão fundos que podem causar maior impacto financeiro e com maior probabilidade de ocorrência de problemas, inclusive fraudes.

Na próxima semana, durante o 37º Congresso Abrapp que será realizado em Florianópolis, a Previc apresentará um novo sistema para baratear o custo de implementação de planos de previdência fechada e colocar a fiscalização 24 horas dentro de todas as instituições. Todo o sistema estará implementado até 2018. Dessa forma, a Previc chegará “antes da porta ser arrombada”, diz ele.

Veja as entrevistas com José Roberto Ferreira sobre como acompanhar as operações do seu fundo de pensão e mais detalhes sobre a implementação do novo sistema na TV Letras & Lucros.  

1 0