Criptomoedas são ativos voláteis e bastante sensíveis ao noticiário. Um bom exemplo ocorreu esta semana, quando uma reportagem sugeriu que o banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs estava se afastando dos planos de abrir uma mesa de negociação de criptomoedas, como estava previsto para o fim do ano.

A reportagem citada por toda a mídia que cobre assuntos ligados ao Bitcoin foi um banho de água fria para os investidores. Uma possível retirada do Goldman Sachs é um ponto negativo para o apoio de grandes grupos financeiros às criptomoedas que estão em estágio inicial e ainda vulneráveis. Em um caso como estes você gera insegurança sobre o futuro destes ativos, redução no volume de compra e aí vem a queda.

O efeito após a publicação da notícia foi uma queda de mais de US$ 1.000 no valor do Bitcoin entre quarta e quinta-feira desta semana. A principal moeda digital do mundo chegou a ser cotada em US$ 6.280 seu nível mais baixo nas duas últimas semanas, e ainda não se recuperou. Neste sábado, segundo o índice Coinmarketcap o Bitcoin está valendo ainda menos, em torno de US$ 6.200.

Agora, o Goldman Sachs está dizendo que a reportagem foi uma “notícia falsa”. O banco alegou que seus planos da mesa de operações nunca tiveram um cronograma.

O diretor financeiro do Goldman, Martin Chávez, comentou o assunto na quinta-feira (6) durante sua participação na conferência TechCrunch Disrupt, em São Francisco, na Califórnia. De acordo com uma notícia da CNBC, ele explicou que “quando o banco falou sobre explorar ativos digitais, seria uma exploração que evoluiria com o tempo”.

A notícia original do site Business Insider dizia que o Goldman Sachs estava deixando de dar prioridade a seus planos de operação de criptomoedas por causa da incerteza regulatória. O artigo também afirmava que o banco estava focado agora em projetos como um produto de custódia para criptomoedas – algo que Chávez discutiu na quinta-feira. Ele observou que uma solução de custódia segura era um pré-requisito para a criação de outros serviços relacionados a estes ativos.

Chávez também anunciou que o Goldman está tentando desenvolver derivativos de balcão para o Bitcoin, com base em um preço em dólar estabelecido por um conjunto de bolsas.

Em uma análise do site da revista Forbes, a entrevista de Chávez pode ter ajudado um pouco a acabar com o cenário crítico do mercado de quarta para quinta-feira. Mas ainda pode levar algum tempo para que o Bitcoin, o Ether entre outras criptomoedas recuperem as perdas desta semana.

Acompanhe os podcasts semanais sobre criptomoedas, finanças e tecnologia da coluna iBolso. Compartilhe seu comentário ou sua dúvida no post ou escreva para ibolso@letraselucros.com.br e confira outras dicas aqui no http://letraselucros.com/ .

CONTINUAR LENDO

Goldman Sachs desmente notícia de que abandonaria planos para criptomoedas. Reportagem provocou queda de mais de US$ 1 mil no preço do Bitcoin esta semana.
Baixar podcast 1 0