Plataformas financeiras on-line lançadas neste segundo semestre no Brasil prometem oferecer crédito em forma de empréstimo e cartão com taxas de juros muito menores que os do sistema financeiro tradicional.

A Lendico, de empréstimos; a Nubank, de cartões de crédito e o Original se juntam às empresas de crowdfunding (como Kickante e Catarse).

Elas fazem parte da onda FinTech, startups que aliam finanças à tecnologia. “Há empresas FinTech que se especializam em fornecer informação e têm uma nova leva que entrega produtos e serviços”, define o consultor Marcelo Prata, especialista em crédito imobiliário.

Prata é um dos fundadores do Canal do Crédito, um precursor do movimento FinTech no Brasil que, desde 2009, oferece uma plataforma virtual para comparação de custos entre financiamentos.

A Lendico é correspondente do Banco BMG, mas a ideia é ter outros parceiros, diz Marcelo Ciampolini, fundador da empresa no Brasil.
Já a Nubank é uma startup que oferece cartão de crédito da bandeira MasterCard sem anuidades e taxas de juros mais baixas que as dos demais cartões – o que não é difícil, já que as taxas do rotativo dos cartões de crédito no Brasil chegam a surreais 450% ao ano. (Leia mais sobre estas plataformas aqui).

O Banco Original é mais próximo de um banco tradicional, com operações de crédito e investimentos, só que inteiramente em plataforma digital. Com suporte de um gigante do agronegócio, o grupo JBS, que tem quase R$ 5 bilhões em ativos, o Original é comandado pelo ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles.

1 0