Brasileiro já aposentado que quer viver em outro país tem uma alternativa legal de transferência do benefício mensal para uma conta bancária no exterior. Porém, de acordo com o advogado Hilário Bocchi Neto, especialista em assuntos previdenciários, existem algumas exigências que acabam tornando a tarefa mais complexa:

 

  • Banco brasileiro – Em primeiro lugar, será necessário que haja algum banco brasileiro no país onde o aposentado vai viver. Com os dados da conta terá que ir ao INSS, na agência onde é mantido seu benefício, e cadastrar o novo local de pagamento.
  • Remessa – Se não houver banco brasileiro, a transferência só poderá ser feita através de um terceiro que possa sacar o dinheiro no Brasil e fazer a remessa para o exterior. Essa operação também pode ser feita por empresas especializadas em transferência financeira e pelos Correios. Leia a cartilha do Banco Central sobre câmbio de pequenos valores. Mas cuidado! Só opere com empresas registradas no BC.
  • Procuração – Sempre é possível deixar uma procuração para alguém de confiança encarregado de sacar o benefício e fazer a remessa para o titular que está fora do país. A procuração permite ainda solicitar benefícios, receber pagamentos, realizar consultas e outros procedimentos relacionados a processos administrativos do segurado.
  • Prova de vida – A procuração também servirá para a chamada prova de vida, quando o INSS exige o comparecimento do segurado para comprovar que ele está vivo para seguir com o pagamento do benefício. Também pode ser feita por meio de documento de prova de vida emitido pelo consulado.

 

 

1 0