Sábio meme esse da foto, que circulou recentemente pelas redes sociais. “Se você está se sentindo sozinho, abandonado, achando que ninguém liga para você…atrase um pagamento”.

No Brasil, quem não paga em dia suas dívidas tem vários dissabores. Entra para o chamado cadastro negativo, a popular lista negra da Serasa, do SPC, do Banco Central, ficando sem acesso a novos financiamentos e cartões (leia mais aqui).

Segundo a Serasa Experian, 56 milhões de brasileiros estão negativados nos bancos de dados – somando os que estão na prória Serasa e em concorrentes como SPC, Boa Vista.

Se demoram um pouco a regularizar o pagamento da dívida, passam a ser perseguidos por empresas de cobrança que telefonam insistentemente para a residência, interrompendo sem cerimônia o jantar e o fim de semana para lembra-lo da dívida. Sofrem ainda com o desarranjo nas finanças pessoais e algumas injustiças como discriminação na hora de se inscrever para uma vaga de trabalho.

Mas quem paga tudo em dia, tem as contas organizadas e o nome limpo ganha…nada.

No máximo está liberado para novos empréstimos, depois de passar, como todo mundo, pela alta burocracia para checagem de cadastros e garantias. Tudo isso para pagar as mesmas taxas de juros elevadíssimas, nos mesmos prazos.

Em países onde o sistema de crédito é mais evoluído, a abordagem é bem diferente. Quem é pontual com suas dívidas, tem recompensa. Nos Estados Unidos, por exemplo, conquistar um bom limite de crédito demanda tempo e persistência. Em compensação, as pessoas bem pontuadas nos chamados birôs positivos ganham limites de crédito cada vez maiores e cartões que dão até um ano para pagar sem juros.

CONTINUAR LENDO
1 0