A Caixa econômica Federal suspendeu novamente a linha de financiamento imobiliário que usa FGTS. O banco alegou esgotamento de recursos. A linha suspensa é a de financiamento imobiliário Pró-cotista, que utiliza recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para subsidiar imóveis de até R$ 950 mil. De acordo com uma nota divulgada pelo banco, todo o orçamento disponibilizado para 2017, no valor de R$ 7,54 bilhões, foi comprometido.

O sonho da casa própria pode ficar mais distante com o corte de algumas linhas de crédito ou taxas de juros mais atraentes. Cada instituição financeira que oferece credito imobiliário tem taxas e condições especiais para correntistas e não correntistas. Essa tabela* contém as taxas básicas de juros dos principais bancos que atuam no Brasil. Usamos como referência imóveis no valor de 950 mil reais, utilizando o sistema de amortização SAC (Sistema de Amortização Constante), com 20% do valor do imóvel de entrada. Nesse caso, 190 mil de entrada e 760 mil financiados.

O que é o CET
O CET é nada mais que a taxa de juros que você irá efetivamente pagar, pois leva em consideração os encargos que estarão embutidos nas prestações, como custos de manutenção e seguros.

O que é a linha de crédito pró-cotista da Caixa
A linha pró-cotista se destina a trabalhadores com pelo menos três anos de vínculo ao FGTS e que estejam trabalhando ou tenham saldo em conta de pelo menos 10% do valor do imóvel. Os juros podem chegar a até 8,85% ao ano. O valor máximo dos imóveis financiados é de R$ 950 mil para Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Distrito Federal e de R$ 800 mil nas outras regiões do País.

*última atualização 26 de junho

CONTINUAR LENDO
1 0