Fazer um bom seguro do carro significa mais do que escolher uma boa seguradora e uma assistência 24 horas. Uma pesquisa prévia para saber se a empresa e o corretor são credenciados na Superintendência de Seguros Privados (Susep), o “xerife” do mercado segurador, é o básico.

Mas além disso, é preciso analisar as reais necessidades e escolher só aquilo que interessa porque, não se iluda, nada é gratuito. Coberturas de alto valor e assistências amplas sempre serão cobradas, direta ou indiretamente.

Por exemplo, todas as seguradoras oferecem guincho no rol de serviços da assistência 24 horas. Porém, é possível escolher a extensão desse serviço, pagando mais ou menos, dependendo da quilometragem de atendimento do guincho, ensina Mauricio Antunes, diretor de marketing da corretora on line Bidu.

“Se você trafega só dentro da cidade, pode escolher um guincho até 100 km. Porém, se você viaja muito é melhor aumentar a quilometragem, pagando um pouco mais”, diz Maurício.

Outro benefício geralmente oferecido pelas seguradoras, o carro reserva, talvez seja indispensável se o segurado utiliza o carro todos os dias no trajeto para o trabalho ou a faculdade e trafega longas distâncias. Mas se utiliza o transporte público e quase nunca sai da cidade com o automóvel, pagar para ter a possibilidade de usar um carro reserva talvez seja excessivo. Nesse caso, um taxi pode resolver uma emergência.

1 0