O que pode destruir uma fortuna?

A corrosão de um grande patrimônio familiar pode ter origem nos mesmos motivos que detonam pequenos orçamentos domésticos, diz Cassio Beldi, sócio da empresa de investimentos Mint Capital. Para ele os “detonadores” são seis:

  • Concentração exagerada em um único ativo;
  • Uso excessivo de alavancagem (dívidas);
  • Falta de planejamento patrimonial;
  • Brigas e dinâmica familiar ineficiente;
  • Falta de proteção contra passivos (seguros);
  • Excesso de consumo;
  • Indisciplina em executar um planejamento.

A origem do patrimônio normalmente vem de uma concentração em ativos, empresas, investimentos e também de alavancagem, diz Beldi. “Essa combinação de concentração em um único ativo, excesso de alavancagem, sem planejamento patrimonial, brigas familiares, não ter seguro para proteção contra passivos, excesso de consumo e o viés comportamental de disciplina na execução do planejamento, destrói completamente uma riqueza”, alerta o consultor.

Além de colocar em risco o patrimônio, a falta de um bom planejamento e de uma dinâmica familiar eficiente acaba prejudicando a gestão do dinheiro no dia a dia. “Do ponto de vista prático, os problemas de quem tem R$ 100 mil são mais ou menos os mesmos de que tem R$100 milhões”, afirma Eduardo Nasajon, sócio da Nasajon Sistemas, empresa que desenvolve softwares para gestão contábil.

“A diferença é que ao invés de ter um apartamento para ter renda, o sujeito tem um prédio inteiro; ao invés de uma empregada e uma babá, tem 30 empregados, de marinheiros para tomar conta dos barcos, até tripulação do jatinho, inúmeros imóveis, faculdades, celulares, seguros, impostos, pensões e mesadas”.

CONTINUAR LENDO
1 0