Se você está encontrando dificuldade para aplicar em Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e Letras de Crédito Imobiliário (LCI) saiba que não é o único. Estes papeis, que viraram moda no mercado financeiro nos últimos dois anos estão sumindo das “prateleiras” dos bancos e corretoras. Em seu lugar, estão sendo oferecidos CDB como títulos equivalentes em termos de prazo e rentabilidade.
No fim de maio, o Conselho Monetário Nacional (CMN) alterou as regras para emissão de LCI e LCA. Até então, a LCA não tinha prazo mínimo para resgate, e a LCI podia ser emitida com no mínimo 60 dias para vencimento. Pela resolução 4.410, de 28 de maio, o CMN estendeu o prazo da LCI para 90 dias e instituiu um prazo igual para a LCA, valendo apenas para as emissões a partir daquela data.
Mas o sumiço de LCI e LCA não tem nada a ver com essa mudança, diz Sandra Blanco, consultora de investimentos da Órama. “Estes papeis são emitidos com lastro em empreendimentos imobiliários (caso das LCI) ou de projetos agropecuários, máquinas agrícolas, etc. (LCA)”, explica Sandra. “Com a economia em baixa, não há projetos nem ativos reais que justifiquem a emissão destes papeis”, conclui.

1 0