Fabiano Nagamatsu, consultor do Sebrae-SP, explica que o crowdfunding é uma modalidade de captação mais indicada para startups que desenvolvem projetos inovadores como aplicativos para celular ou para aqueles que querem realizar um sonho, como viajar o mundo e publicar um livro sobre sua aventura.

Segundo ele, a modalidade tem sido útil para microempreendedores lançarem ideias e projetos, testando marcas e produtos nas redes sociais antes do investimento mais alto no negócio. “Ele usa a ‘vaquinha eletrônica’ para lançar o produto, ver a repercussão, o nível de demanda e calcular os custos, antes do lançamento”.

Assim, o plano de negócios é tão fundamental para este como para qualquer outro tipo de empreendimento.

Nagamatsu alerta, entretanto, que o crowdfunding exige transparência e abertura de informações sobre o projeto, a exemplo de todos os financiamentos coletivos.

“Só é indicado para projetos de valores baixos, que interessam muitos participantes, de perfil mais social ou produtos e serviço de difícil imitação”.

Segundo o consultor, se o projeto envolve segredo estratégico, é melhor procurar outra forma de captação.

1 0