Encontrar o preço certo a cobrar por um trabalho freelance exige organização pessoal, avaliação correta dos custos envolvidos e uma pesquisa de mercado para saber quanto os concorrentes cobram.

“Há sempre o risco de cobrar caro demais e perder clientes, ou barato demais e perder dinheiro”, alerta Tomas O”Farrell (foto), CEO da Workana, plataforma de freelance. O segredo, diz, é sempre cobrar o máximo que você ache que vale o seu tempo, sem ficar muito distante da média de mercado.

“Você pode até cobrar mais que o mercado se seu cliente perceber que você agrega mais valor ao trabalho do que os concorrentes”, completa João Carlos Natal, consultor da área de finanças da seção paulista do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP), frisando que a estratégia vale para qualquer profissional que vende produtos ou presta serviços.

Siga o passo a passo indicado por estes especialistas:

  • Calcule o valor do seu tempo – com base nos seus gastos mensais e planejamento financeiro.
  • Trace a estratégia de precificação – Um jeito fácil de realizar esse cálculo é levar em conta um salário de CLT, dividindo o valor pelas horas de trabalho mensais para obter um valor aproximado e levantar o valor de sua hora trabalhada.
  • Pesquise a média – Use os sites de busca, consulte colegas da sua profissão e plataformas de trabalho remoto.
  • Compare os valores levantados – Se o preço que você quer cobrar está próximo do preço praticado, sua estratégia é viável; se está acima, identifique e comunique ao cliente seu diferencial; se estiver abaixo você se torna mais competitivo. Porém, cuidado porque os clientes podem ver preço baixo como sinônimo de qualidade inferior.
  • Negociação faz parte – O cliente sempre vai pedir menos, você mais. Nesta fase, é crucial se comunicar com clareza e atenção.
  • Ofereça pacotes – Segundo a Workana, oferecer um pacote de serviços evita que o cliente pague pelas horas trabalhadas, mas sim pelo projeto finalizado, ampliando a competitividade.
CONTINUAR LENDO
1 0