Quantas vezes você imaginou largar o trabalho, que até pode pagar bem, mas não lhe traz satisfação, e ir em busca de realização pessoal e profissional? Esse é o tipo de coisa que passa na cabeça de muita gente, inclusive foi o que aconteceu com Mike Lewis. Em 2013, ele tinha 24 anos e trabalhava no mercado financeiro. Motivado pela entrevista de uma ciclista que deixara o mundo corporativo para se dedicar ao esporte, decidiu lançar tudo para o alto e se tornar jogador profissional de squash – que praticava quando tinha 14. Na verdade, Mike ainda levou dois anos juntando dinheiro até botar o pé na estrada, como o último no ranking dos torneios dessa modalidade. Em entrevistas, divertia-se dizendo que, na primeira partida, não marcou um ponto: “o que é quase impossível de acontecer num jogo de squash!”. Depois, foram 18 meses nas quadras, durante os quais percorreu 50 países e chegou a ocupar o 112º. lugar na categoria.

Ao voltar, Mike não tinha emprego, mas colecionara histórias de gente que havia feito algo semelhante. Esses relatos se transformaram no livro “When to jump: if the job you have isn´t the life you want” (em tradução livre: “Quando saltar: se o trabalho que você tem não é a vida que você quer”), lançado no começo do ano. São 44 personagens com trajetórias bem distintas: do banqueiro que virou dono de cervejaria à publicitária que agora é religiosa, passando pelo motorista de caminhão de lixo que desenha móveis de luxo. Cada um conta como foi o seu “salto” e o projeto ganhou uma plataforma digital na qual “jumpers”, ou saltadores, compartilham o que fizeram para mudar suas vidas.

Ele reconhece que fazer algo inesperado envolve riscos. O caminho é longo, com momentos de hesitação e insegurança, por isso sugere quatro passos para quem quiser encarar o desafio:

  1. Em primeiro lugar, não ignorar aquela “voz” em sua mente dizendo que não está bom, que é hora de mudar. Converse com as pessoas próximas pedindo seu apoio, e não sua permissão.
  2. Planeje: envolva-se totalmente na montagem de uma rede de proteção. Isso significa ter uma reserva financeira e gente que possa ajudar. Pode parecer assustador, mas você vai se surpreender com o suporte que receberá.
  3. Permita-se tentar a sorte e ser feliz: marque uma data e vá em frente!
  4. Não olhe para trás: se sentir um pingo de arrependimento, lembre-se que você não perdeu nada e está pronto para ganhar algo novo. Desenvolva disciplina mental, dedique-se ao projeto e não tenha medo de falhar. Afinal, mesmo que enfrente dificuldades e até fracassos, essas serão experiências que levarão a outras oportunidades.

 

CONTINUAR LENDO
1 0