Em primeiro lugar, permita-se. Nossas ideias são sementes. Às vezes, nem nos deixam dormir direito, dando pulinhos na nossa cabeça. Se você não abrir espaço para seus pensamentos e sonhos, a imaginação continuará trancada a sete chaves, alimentada a pão e água. E vai definhar até morrer, talvez enterrando junto melhores versões da sua pessoa! Na coluna da semana passada, falei da necessidade de não ignorar aquela “voz” em sua mente dizendo que é hora de mudar de trabalho, de estilo de vida. O mesmo se aplica à criatividade: acolha e encoraje até o que você, à primeira vista, consideraria uma bizarrice.

Importante não confundir criatividade com aptidões artísticas. O fato de não pintar quadros ou compor músicas não torna ninguém menos criativo. Na verdade, a grande questão é: o que eu posso criar? De que forma? Pode ser algo ligado a empreendedorismo, ou o aperfeiçoamento de processos na empresa onde se trabalha. Você pode ser criativo na área do direito, da arquitetura, da gastronomia, da educação. Deixe a mente divagar antes de dormir: são seus impulsos naturais, seus atributos e características se manifestando – e lhe dando dicas de desejos a serem realizados, caminhos a serem percorridos. Para levá-los a sério, será preciso audácia e o segundo passo é encher-se de coragem para ir em frente, com a certeza de que tem algo que vale a pena oferecer ao mundo.

Aprenda a tolerar a ideia de ser imperfeito, porque qualquer nova iniciativa embute o risco de falhas e fracassos. Um pouco de bagunça, de coisas fora da ordem, por favor! Esse é um recado fundamental para as mulheres, treinadas desde cedo para fazerem tudo certinho: o perfeccionismo pode ser o inimigo número um da criatividade, porque vai sabotar seus voos com pensamentos venenosos do tipo: “tanta gente mais inteligente já tentou isso…”; ou “não há mais nada para se inventar nessa área!”. Por último, arranje tempo para pensar fora da caixa, ou seja, programe-se para “cutucar” sua criatividade com regularidade, porque não é todo dia que um insight vai se manifestar como um clarão em sua existência.

Quando recebeu o Emmy de melhor atriz, em 2008, a atriz Tina Fey fez a seguinte declaração: “quero agradecer a meus pais, que me deram uma confiança totalmente desproporcional à minha aparência e habilidades. Todos os pais deveriam fazer isso”. Serve de lição para todos: procure nutrir um ambiente no qual ideias prosperem. Podem ser as dos nossos filhos, de amigos ou colaboradores. Libere a criatividade que dorme dentro de você e faça o mesmo com os outros.

 

CONTINUAR LENDO
1 0