O Bitcoin sofreu uma nova queda e voltou ao patamar dos US$ 10 mil dólares esta semana. Desta vez, a criptomoeda sofreu os efeitos de um ciberataque à Coincheck, uma das maiores bolsas de Bitcoins do Japão. O roubo estimado em mais de US$ 400 milhões de dólares é o maior que se conhece até hoje – o segundo maior também aconteceu no Japão, em 2014, com a corretora MT. Gox. O incidente gerou impacto negativo nos valores de outras criptomoedas como Ethereum e Ripple. Neste sábado, dia 27, o Bitcoin está cotado a pouco mais de US$ 11,400 dólares, segundo o ranking da Coindesk.

Na noite de ontem, os executivos da Coincheck estimavam sua perda em 58 bilhões de ienes (cerca de US $ 533 milhões). De acordo com a agência Bloomberg, 500 milhões de tokens NEM foram retirados das carteiras digitais da Coincheck. O NEM, sigla para New Economy Movement, começou a circular em março de 2015 trazendo um sistema blockchain com novas funcionalidades.

Este tipo de incidente sinaliza que não existe plataforma perfeita, por mais popular que seja. O que recomendam os especialistas em segurança é não deixar suas criptomoedas na conta da exchange, mas sim armazenadas com você, seja em sua carteira virtual no smartphone, no desktop ou em um token especial, sempre com as chaves criptográficas em outro ambiente. Confira outras dicas de segurança no podcast “Saiba manter bitcoins em segurança” aqui da coluna.

Escreva pra gente aqui no post ou pelo e-mail ibolso@letraselucros.com.br .


Bitcoin tem nova queda após roubo milionário no Japão
Baixar podcast 1 0