Em primeiro lugar, lembre-se que cada vez temos menos tempo para interagir com as pessoas no ambiente de trabalho – infelizmente, também fora dele, já que gastamos boa parte das horas livres em redes sociais. Some-se a isso o fato de os empregos remotos estarem se tornando uma realidade que só tende a crescer. Portanto, é fundamental aprender a valorizar cada oportunidade de participação que você tiver: seja ao vivo, por telefone, e-mail ou qualquer outro dispositivo. Seu vocabulário deve ser objetivo e mostrar disposição para assumir as tarefas. Além disso, é importante mostrar, sem prepotência, o domínio que você tem sobre o que deve ser feito. Resumindo: não enrole, não demonstre insegurança, nem crie, logo de saída, obstáculos em relação ao projeto. Para passar essa mensagem a seus interlocutores, algumas frases e expressões devem ser banidas, porque vão na direção oposta às suas intenções:

 

  • “Eu acho” – vale para conversa de bar, mas não para assuntos profissionais. Você queima a largada, porque parece não dominar o tema. Prefira citar exemplos de situações semelhantes que demonstrem sua experiência ou use dados confiáveis para endossar o que vai dizer. Aliás, preste atenção para não abusar do pronome “eu”, como se fosse o único responsável por todos os sucessos alcançados.

 

  • “Isso não é minha função” – se a tarefa está fora do seu escopo ou expertise, não tente simplesmente se livrar dela. Diga que vai entrar em contato com alguém que poderá ajudar, porque isso vai indicar que, apesar de não ter uma resposta imediata, você não deixará ninguém na mão.

 

  • “Ok, mas…” – é claro que você pode fazer perguntas para esclarecer pontos que suscitaram dúvidas, mas cuidado para não dar a entender que vê falhas e problemas na proposta antes mesmo de seu pontapé inicial. Se quiser fazer um contraponto, utilize outro tipo de abordagem, algo como: “posso fazer uma sugestão?”; ou, “e se a gente usasse também essa perspectiva”?

 

  • “Sim, claro, com certeza” – parece contraditório em relação ao item anterior, mas não é. O contrário de não discordar não é concordar com tudo. O risco de aceitar todas as tarefas e exigências é não conseguir dar conta do recado, o que vai comprometer sua reputação. Uma alternativa é propor uma lista de prioridades diante de pedidos incessantes.

 

  • “Me desculpe” – é bacana ser transparente quando se erra ou algo sai do controle, mas isso não basta. Na sequência, você precisa ter uma solução para oferecer.
CONTINUAR LENDO
1 0