Acabo de ler o recém-lançado “BrandIntelligence: construindo marcas que fortalecem empresas e movimentam a economia”, escrito por Jaime Troiano, que fundou e comanda há 24 anos a Troiano Branding, a primeira empresa brasileira dedicada integralmente à gestão de marcas. Tive o prazer de, em diferentes ocasiões, conferir de perto seu trabalho e, mais uma vez, comprovo sua generosidade em compartilhar os ensinamentos e as experiências acumulados durante décadas. Um livro sobre como administrar uma marca com eficiência parece ser dirigido a profissionais de marketing e comunicação. No entanto, eu diria que a obra traz informações valiosas para todo mundo. Explico: em primeiro lugar, e já tratei disso neste espaço, a expectativa do mundo corporativo é de que, do estagiário ao CEO, o comportamento dos funcionários seja o de “dono da firma”. Em segundo, se você está fora do ambiente corporativo e vai empreender, será efetivamente o dono e terá que manter vigilância eterna para não baixar a guarda para seus adversários. Em terceiro, mas não menos importante: é urgente e indispensável aprender a cuidar da marca mais valiosa que existe – você!

No livro, Troiano relaciona leituras que são fundamentais e também lista cursos no Brasil e no exterior para quem pretende se aperfeiçoar. Uma das obras citadas é “Building strong brands”, de David A. Aaker, que ele considera um verdadeiro curso. Um trechinho que serve para corporações e carreiras individuais: “A capacidade de qualquer marca de ser, de fato, uma ferramenta eficaz de negócios, é a percepção de qualidade do produto ou serviço que ela representa. Qualidade percebida conduz à performance financeira”. O chamado valor premium, que faz com que desembolsemos mais por um produto, vale para um profissional, é o que valoriza seu passe.

Troiano ainda recomenda “Marketing 3.0”, de Philip Kotler, H. Kartajaya e I. Setianwan, que formula um credo com dez itens que cai como luva também para pessoas. Meu preferido é o terceiro: “Proteja seu nome, deixe claro quem você é”. Não precisa de explicação! Vivemos uma era de mudanças intensas, na qual os especialistas garantem que os empregos do futuro são aqueles que não podem ser automatizados. Sinônimo para criatividade, colaboração e pensamento crítico. E integridade. Há uma seção dedicada ao branding digital que disseca os aspectos da complexidade do momento atual, como a velocidade com que as coisas ocorrem (tanto nos acertos, quanto nos erros) e o grau de envolvimento das pessoas, fazendo com que um deslize se torne um terremoto.

Daqui para a frente, a gestão da marca eficiente vai ser fator crítico não apenas de sucesso, mas de sobrevivência. Na verdade, será uma tarefa da organização como um todo, e não de um setor específico. Tanto que uma das ideias mais poderosas do livro é a recomendação de que empresas que têm respeito por suas marcas e acreditam em seu valor deveriam instituir o cargo de CBO (Chief Brand Officer), ou seja, um guardião com poder para impedir ações precipitadas ou temerárias. Que tal começar sendo guardião da marca mais valiosa: você?

 

CONTINUAR LENDO
1 0